Biografia

A relação de Matheus Nicolau com a música é como uma amizade feita na mais tenra idade, da qual as duas partes nem se lembram mais em que ponto da história teve seu início. Nicolau iniciou os estudos de música aos 3 anos de idade, desenvolvendo percepção musical através de instrumentos percussivos e flauta doce. Dois anos mais tarde o piano já hávia se tornado seu instrumento de maior estudo e dedicação

Ao longo da vida Matheus desenvolveu hábilidades em outros instrumentos, como violão e acordeon, sem nunca abandonar as teclas de onde veio. O músico iniciou seu caminho profissional aos 16 anos como tecladista da Kamikaze 80, banda de PopRock da sua cidade natal, Campos dos Goytacazes. Atuou em diversas bandas e foi músico de apoio de diversos artistas da região como Sandro Balli e Banda Cântarus.

 

Também aos 16, Nicolau foi convidado pelo poeta e ator Adriano Moura para compor as canções e fazer a direção musical do espetáculo Liquidifica(dor) - Poesias para vita mina. Tal experiência aproximou o músico do teatro, atuando como diretor musical e compositor. Mais recentemente, em 2015, fez sua estreia como ator no espetáculo Pessoas, musical com poesias de Fernando Pessoa que também conta com as composições de Matheus.

 

Apaixonado pela magia das novas canções, Nicolau participou de muitos festivais de música pelo país, sendo premiado em diversos deles como no FENAC - Festival Nacional da Canção e no Festival Estudantil de MPB de Campos (1º lugar - 2009). Tais prêmiações encorajaram o artista a produzir seu primeiro disco, “Todas as flores têm espinhos?”, álbum totalmente autoral lançado em 2011. O disco recebeu boas críticas por parte da imprensa especializada e foi pre-selecionado para o Prêmio da Música Brasileira de 2012.

 

Assim como seu primeiro álbum, Nicolau lançou em 2018 um disco conceitual, com canções que se relacionam e dissertam sobre um mesmo assunto. “Vestígios - O tanto que fica de tudo que vai”, apresenta uma nova fase musical do artista, com arranjos mais proximos do Rock sem abandonar sua veia romântica. Matheus Nicolau se destaca pelas letras que escreve, tecendo um paralelo entre a acidez e o romantismo.

 

Cria com fluidez e se mostra inspirado e detalhista. Talvez o mais interessante do Nicolau compositor, intérprete e musico é que ele não se preocupa em ocupar qualquer espaço de tempo. Ele simplesmente quer fazer músicas, e faz de maneira peculiar. Se expõe, imprime o que pensa e escreve letras de conteúdo

© 2020 por Matheus Nicolau